TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo

O TOC é uma complicação bastante severa. Consiste na obsessão/compulsão por iniciativas repetitivas: pular um determinado número ao falar uma sequência, lavar-se várias vezes, conferir a porta várias vezes, benzer-se várias vezes no mesmo momento, etc.

A problemática do TOC é compreendido pela Psiquiatria e Psicologia do séc. XXI, como uma complicação psicológica que desdobra da vida de relações, como as demais complicações psicológicas existentes, conhecidas pelos diversos conceitos de Esquizofrenia, Distúrbio Bipolar de Humor, Depressão, Síndrome do Pânico, etc., superando a compreensão de que pudesse ser algum tipo de doença.  Dizer que não é doença, não consiste em dizer que não exista a ocorrência, e muito menos ignorar o grande sofrimento que estas problemáticas geram, e sim compreender que as complicações psicológicas são geradas na convivência com os outros e as coisas, ao longo da história das pessoas.

Todos os comportamentos obsessivos/compulsivos tem na base a ansiedade, que desdobra do medo e insegurança relativamente a algo. Ou seja, para a pessoa ter desenvolvido o TOC, ela precisa ter passado por situações que geraram dificuldades e das quais tenta escapar repetindo determinado movimento. Por exemplo, a pessoa que confere várias vezes se fechou a porta, está fugindo de alguma situação de medo de esquecer a porta aberta e algo acontecer. Então tem sempre algo que a pessoa tenta evitar com aquele comportamento, e este algo foi constituído em situações em que a pessoa enfrentou dificuldades e cuja maneira que lhe pareceu possível de contornar a situação, foi repetir o gesto.  Sendo assim, o TOC se constitui numa complicação psicológica, que desdobra de impasses e equívocos ocorridos na vida de relações, durante o desenvolvimento da personalidade, período da infância e adolescência.

Há pessoas que tem apenas costumes e hábitos: de vestir certa cor, de fazer tal trajeto, de arrumar as coisas de um certo modo, etc., o que não lhes acarreta sofrimento. Essas situações se diferenciam do TOC, porque neste último caso, implica em impeditivos para que a pessoa leve sua vida em termos de normalidade. Quem padece de complicação emocional que o conduz a repetir e repetir, sofre com isso. Não consegue manter um emprego, porque leva horas no banho e chega sempre atrasado, entra em grande ansiedade na hora de dormir ao conferir todas as portas da casa várias vezes, entre outras coisas.

Por isso que é uma situação a ser superada por intervenção psicoterapêutica, que vai identificar os episódios em que as manias ocorrem, e qual os gatilhos que os desencadeiam, bem como os correlativos destes episódios, que se encontram na infância e adolescência.

Convidamos a assistir este vídeo em que a Psicóloga Ana Claudia fala sobre a problemática, mas também a entrar em contato com nosso consultório, caso você ou um de seus familiares esteja sofrendo com o TOC. 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Fechar Menu