Adolescência e Limites

Muitos pais trazem queixas relativas as dificuldades de lidar e de conduzir seus filhos adolescentes. Justo agora que pensavam ter adquirido a habilidade de lidar com as crianças, elas se apresentam na pré-adolescência e adolescência com outras características que deixam os pais perdidos.

O que acontece é que assim como a primeira e a segunda infância são períodos cheios de aprendizagens, o mesmo ocorre com a adolescência. Na infância são aprendidas coisas muito complexas como a linguagem verbal e escrita, os hábitos, os comportamentos da família e da sociedade na qual a criança está inserida, os valores, etc. Na adolescência o aprendizado destas coisas se complexifica e o adolescente precisa além disso tudo, aprender o seu lugar no mundo e o futuro que vai escolher seguir.

Até então a criança fazia suas escolhas e se movia dentro de um espaço desenhado pelos pais. A aula de inglês, a religião, os estudos e o passar de ano, o modo como se comportavam frente aos outros, entre outras tantas coisas, era definido pelos pais.

Porém, chega o momento que o adolescente tem que escolher entre continuar o que os pais escolheram ou mudar o rumo das iniciativas. Eleger se vão para uma profissão e de que forma, se vão ter filhos, família e de que forma, entre tantas outras coisas. Enfim, aquilo que até então era seguir o caminho apontado pelos pais, torna-se mais complexo. Agora não é apenas passar do primeiro para o segundo ano, e se comportar para ganhar o presente de Natal, tem todo um futuro pela frente que não está desenhado e é preciso desenhar quando ainda não se sabe bem fazer os traçados.

Por isso se fala da turbulência da adolescência, que é sim uma fase difícil, e que diferente do que muitos pensam, não passa por si. Ou os adolescentes são bem orientados e conseguem ganhar limites por dentro e fazer escolhas para seu futuro considerando aos outros e a eles próprios, ou esta turbulência vai permanecer vida em fora.

Promover a aprendizagem de limites por dentro que é fundamental na infância, é ainda mais necessário na adolescência e exige a participação dos pais como mediação e apoio para tudo isto. Ensinar limites não é estabelecer regras e “nãos”, e sim orientar, induzir, esclarecer, estabelecer limites por fora, de modo que os adolescentes encontrem seu espaço no mundo, entre os outros e as coisas, aprendendo a respeitar o seu território e a levar os outros em conta.

Nestes 16 minutos de entrevista com a Psicóloga Ana Claudia, do Consultório Relações, é possível ter uma melhor noção destes elementos todos.

Convidamos vocês a assistirem e esclarecerem algumas dúvidas e questionamentos, assim como a entrar em contato diante de outras indagações que ocorrerem.

Compartilhe Esse Post

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Fechar Menu

Você tem Filhos?

Inscreva-se e Receba Grátis nossa série sobre TDAH, que hoje atinge 6% das crianças.

Solicitar Informações para Marcar Consulta

O campo abeixo não é obrigatório. Apenas se tiver dúvidas ou quiser passar mais informações.
Whatsapp Preferencialmente